terça-feira, 27 de março de 2018

Ahhh esses pézinhos, essas pegadas...

Há 18 anos, toquei esses pézinhos pela primeira vez.

Quando fez 15 anos, cheguei até a escrever um post sobre eles.
E hoje quando completa 18 anos, escrevo outro.

Até hoje, caminhei muitos de seus passos junto contigo... se não juntos, muito próximo, olhando de perto.

Mas hoje você faz 18 anos e... não sei mais. Não sei por quais caminhos esses pézinhos vão caminhar. Então continuo desejando:

Que essas pegadas sempre passem pelos melhores rumos.
Que essas pegadas sempre estejam recheadas de muita alegria.
Que essas pegadas sempre possam chegar a amigos.
Que essas pegadas possam sempre indicar boas escolhas.
Que essas pegadas sejam sempre dignas de serem seguidas.
Que essas pegadas possam caminhar por muitos 18 anos.
Que essas pegadas sejam sempre decididas e firmes, principalmente, quando os caminhos forem mais nebulosos e incertos.
Que essas pegadas sempre possam chegar até os meus caminhos para que a gente possa caminhar junto pelo mundo, pela vida.

Suas pegadas estão na minha alma, na minha vida e para que sempre possa lembrar do quanto caminhamos juntos e do quanto ainda temos a caminhar, tatuei seus pézinhos no meu corpo, na minha pele.

Que a sua caminhada possa ser sempre muito feliz e cheia de saúde.

Parabéns meu filho!


Te amo um tantão...


quinta-feira, 15 de março de 2018

O populismo carcome...

O populismo carcome tudo.

Produz alguma satisfação no curto prazo, mas gera mortes, assassinatos de crianças, grávidas e vereadoras. Gera desemprego, falsas ilusões.

O populismo na momento seguinte desencanta, desespera, desatina. Tira crianças da escola, tira educadores da vida. Põe professores na rua. Tira comida da mesa, água da torneira. Espalha merda na rua, sujeira nos rios e medo nas nossas almas. Inverte tudo. Desestabiliza.

O populismo não é de direita ou de esquerda. O populismo é do mal o populismo faz baixar a nuvem cinza que atordoa e atrapalha a visão. Não sei o que vejo, o que vê, o que é visto. Não vejo. Só sinto e não sinto (o) bem.
Se a solução para questões importantes passa por um projeto de Estado, a irresolução se apoia no populismo.

O que me preocupa mais é que não temos para onde correr. Como diria Itamar Assumpção: Não há saídas, só ruas, viadutos e avenidas. Ruas sujas, viadutos que caem e avenidas cinzas.

Os partidos mudam de nome, deixam os Ps de lado em suas siglas e o Povo de lado no seu dia a dia. Não fazem nada a mais que cuidar de sua própria subsistência.

Projetos de poder, projetos para nos foder vêm de todas as partes. Mas o importante é eliminar a moça do BBB com 94% dos votos, ou derrubar o técnico do seu time de coração.

Políticos do bem (deve ter alguns, por aí, não é possível, meu Deus) que não serão votados, folhas de cadernos que não serão escritas, livros que não serão lidos, panelas que não serão usadas, pratos que não serão enchidos, copos que não serão bebidos, sorrisos que não serão dados, alegrias que não serão compartilhadas, notícias que não serão dadas, histórias que não serão contadas. Misérias que não serão extintas, até porque commo diriam os Titãs: “miséria é miséria em qualquer canto. Riquezas são diferentes.”

É... o populismo carcome tudo... tudo.



domingo, 26 de novembro de 2017

Cápsula do tempo

Quase 18 anos...
Amanhã será dia dele colocar algo na cápsula do tempo para abrir depois de 15 anos.
Fico pensando no que eu colocaria. Ele nem está preocupado com isso. Tem FUVEST hoje, provas de recuperação na semana. Está cansado, stressado e com vontade de que tudo termine para poder descansar... férias.
Isso ele puxou de mim. Valoriza cada momento de descanso. Ele não sei direito o porquê. Eu por que já vi colegas trocarem a vida pelo trabalho e a visão não é boa...
Enfim, voltando ao assunto, não sei o que ele vai colocar lá, mas fico me perguntando: Como será daqui há 15 anos?
Será que rola o Mackenzie? São Francisco?? Será que será ou estará advogado? Ou talvez empresário empreendedor?
Carrão? O tão sonhado carro alemão? E será que o carro ainda será movido à gasolina? Ou será tudo elétrico? Ihhh... elétrico? E o barulho do motor 8 cilindros?
De volta para o Canadá? Lugar tão querido onde aprendeu que há civilização e que, apesar de problemas, as coisas podem funcionar melhor?
Será que teremos mais intolerância? Sim, porque parece que isso vai crescendo dia a dia... muito triste.
E os políticos? Será que terão sido presos ou conseguirão passar regras de auto-proteção que permitirão que continuem roubando a gente na maior cara de pau?
Será que o Palmeiras ganhará muitos títulos? Ou a gente ainda vai ter que ficar aguentando o Corinthians soltar fogos bem naquele dia em que a gente precisa de tranquilidade para dormir?
Itubaína? Quindim? Abobrinha refogada? Cupim? Picanha? Bisnaguinha Panco com geléia? Será que ainda continuaremos a ter acesso a tudo isso? Tubaína voltou... outros (Guaraná Brahma) se foram... Vai saber...
Filhos? Nossa... será que serei Vovô daqui há 15 anos?
E aquele monte de miniaturas? Guardadas em uma prateleira, protegidas do pó e protegendo as memórias de um menino que sempre viajou muito nos carros, fossem eles de papel, recortados da revista, ou da Automodel? Ou terão sido doados? Ou ainda estarão nas mãos dos netos? Oh my Gosh... netos de novo...
Será que haverá novidades na música? Ou continuará ouvindo sertanejo? E Aloki? Pelo menos, ele gosta do U2...
 São tantos serás... Vamos ver o que rola...
A única coisa que espero que seja lá o que vier, que venha bem e para o bem.
Te amo hoje, te amarei mais amanhã e te amarei ainda mais daqui há 15 anos.
Marcos            


PS: será que este blog estará no ar daqui há 15 anos?

domingo, 15 de outubro de 2017

Lembra...

Lembra daquele professor que te sorriu? 
Lembra daquela professora que te incentivou? 
Lembra daquele professor que te encantou com sua disciplina? 
Lembra daquela professora que pegou na sua mão para que você entendesse como se fazia o S maiúsculo? 
Lembra daquele professor que quando você não entendia, ao invés de repetir, explicava de forma diferente? 
Lembra daquela professora que você sentia saudades nas férias? 
Lembra daquele professor que você quase chamava de amigo? 
Lembra daquela professora que ria junto das coisas engraçadas? 
Lembra daquele professor que te ensinou muito? 
Lembra daquela professora que era durona, mas que te entendia? 
Lembra daquele professor que era exigente e não se satisfazia com as suas respostas simples porque sabia que você podia fazer melhor? 
Lembra daquela professora que sofria mais que você quando não te avaliava bem? 
Lembra daquele professor que você queria ser?  

Lembra dess@ professor(a)...


Esses professores constituíram você como pessoa, como professor, como professora. Quando você está em aula, potencialmente, você tem esses professores todos dentro de ti. 

Espero que, no bom sentido, faça bom uso deles e permita que eles aflorem no seu dia a dia, assim, certamente, você fará parte da memória dos seus alunos, das memórias boas que temos quando lembramos de nossos professores.


Feliz dia dos professores!


segunda-feira, 27 de março de 2017

Descobrindo...

Há 17 anos comecei a descobrir muitas coisas...

Acho que primeiramente, descobri o que é amar incondicionalmente. 

Depois, descobri o quão orgulhoso é possível ser. Quando te vi e te peguei no colo e fui para a janelinha te mostrar para as Vovós que estavam lá esperando... nossa... que orgulho. Foi inesquecível... muita emoção... o teu cheirinho, os teus olhos, você ali... Nunca me esquecerei e sempre me emocionarei ao lembrar disso.

Descobri também que ser pai, significa aprender a viver em dúvida... Quantas coisas esse seus olhos veriam? Quando sorrisos, quantos carrinhos, quantas bolinhas, quantas brincadeiras, quantas viagens, quanta ternura, quanto amor... quantas coisas seus olhos ainda verão? Nem imagino, mas sei que a ternura e o amor sempre estarão nos meus olhos ao te olhar. Isso você sempre verá ao ver meus olhos.

Descobri que um filho ensina tanto, mas tanto... que é difícil quantificar. Ensina mais que todos os cursos que já fiz juntos. Ensina que o amor é concreto e se materializa a cada segundo, a cada olhar, a cada abraço, a cada momento.

Descobri o prazer que as coisas mais banais do mundo podem nos propiciar... uma road trip ao centro oeste, comer churrasco com queijo juntos no meio do nada, ver o por do sol tomando um sorvete no lago norte, caminhando na mata de Itatiaia, jantando conosco em Barra Bonita, dando uma voltinha de carro, ou mesmo deitando junto comigo para assistir o mesa redonda aos domingos a noite. Uma delícia...

Uma delícia te ver crescendo, com barba na cara, ideias na cabeça, vontades na alma. Uma delícia te ver amadurecendo... te ver sendo do bem... te ver com sonhos, duvidas, inseguranças, propósitos, objetivos, desejos.

Uma delícia estar junto e bem próximo de ti nestes seus primeiros 17 anos... uma delícia descobrir contigo.

Parabéns, meu filho. Eu te amo muito.

Seja feliz.


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Eu sou a favor do impeachment...


Andam escrevendo tanto por aí que eu senti a necessidade de me posicionar.

Muitos amigxs que defendem o atual governo e são contra o impedimento da Presidente tem postado uma série de coisas que nem sempre podem ser atribuídas a todos que têm opiniões diferentes. Algumas dessas afirmações seriam até constrangedoras para mim e por isso achei legal escrever esse post.

Primeiro, tendo trabalhado e votado pelo PT por vários anos, desde quase sua fundação até poucos meses depois da primeira eleição do Lula, fico muito indignado. As posições de esquerda, o conceito de justiça social, os princípios éticos e a democracia defendida por mim e por muitos companheiros naquela época estão a anos-luz do que tem sido praticado pelo partido nesses anos de poder.

Isso porque ao invés de implementar e lutar por um plano de governo, um projeto de país, optaram por implementar e trabalhar em prol de um plano de manutenção do poder pelo poder.

Alianças impensáveis na época foram feitas sob a égide da governabilidade. E deu no que deu, na verdade, no que está dando.

É simplista atacar uns e outros hoje, após a votação de 17 de abril, sem se lembrar que até poucos meses e, até dias, estavam sentados na mesma mesa. Tem uma música dos Titãs que reflete bem isso... diz “quem come prego sabe o cu que tem”.

O triste é que ao defender que a presidente seja impedida porque gastou mais do que podia e utilizou de artifícios ilegais para dar conta disso, o que em empresas privadas – com ações em bolsas – que precisam dar conta de seus atos, gera processos e punições previstas no código civil, eu seja colocado no mesmo saco de um monte de gente deplorável.

É triste ver que um cara que exalta um torturador votou na mesma posição que eu tenho. Também é triste de ver o Prestes sendo mencionado por governistas que se apegam ao cargo se esquecendo muitas vezes das motivações da coluna.
É triste ver que ao chegar ao poder, essas pessoas conseguiram fazer com que Marighela, Rubens Paiva, Herzog, Lamarca, entre tantos outros desaparecidos, hoje, sejam vistos como farinha do mesmo saco... do mesmo saco daqueles que sobreviveram, assumiram o país e aparelharam o Estado para que, na base de comissões e propinas, pudessem se manter lá, sem perder a boquinha, sem perder o poder. Enfim, a tristeza vem de vários lados, de várias vozes, de vários sentimentos.

É triste que a presidência da sessão tenha sido conduzida por um deputado como o Cunha, mas é triste lembrar que ele só chegou nessa presidência por conta de interesses do governo que até pouco tempo atrás buscava em todas as alas do PMDB suporte para seus planos de manutenção de poder.

Eu sou contra a ditadura, sou contra corruptos, sou contra tortura, sou contra a ideia de que só quem defende X ou Y é massa de manobra, sou contra a ideia de quem só quem defende posição X ou Y tem a consciência, sou contra a força, som contra conchavo, sou contra o que a esquerda fez e deixou que fizessem com ela, a esquerda.

Em conversas tenho dito que um dos piores feitos do PT é ter se tornado símbolo de pensamento de esquerda. Não é. O PT pelo qual trabalhei era. O PT resignificado não.

Ainda tem gente boa lá? Já não sei. Acho que sim, mas não tenho certeza.

Aliás certeza eu tenho uma... o que acontece hoje (a força que um tipo da pior espécie como o Bolsonaro tem, o protagonismo frio que um Cunha alcançou, a cara de pau com que os homofóbicos, preconceituosos, reacionários e enrustidos bradam) não está aí por acaso. Quando você deita com alguém tem que saber que isso tem um preço... preço alto que todos nós estamos pagando.

O problema não é só a Dilma. Concordo... mas passa por ela. Aliás, defender que o problema está aqui ou ali seria simples demais. Dilma está pagando o preço por ter se sujeitado a ser o que não estava preparada para ser. Foi posta na Presidência por um partido e, provavelmente, será usada como forma de se afastar um pouco esse partido do poder.

O que espero é que as pessoas que foram às ruas para derrubá-la não saiam das ruas. Temos muito mais gente para derrubar. Tem muito mais gente para ser presa. Tem muitas máscaras (de pessoas de vários partidos) que precisam cair. Tem muito mais que precisamos aprender. As eleições de outubro são uma excelente oportunidade para que a gente possa mostrar que aprendeu algo com o voto.

Que o nosso voto seja a cuspida na cara de gente oportunista que não está nem aí para o nosso país.

Ontem foi um dia em que não poderia haver vitória... independentemente do resultado perdemos. Poderíamos ter perdido mais, na minha opinião, mas ainda assim, perdemos.

Espero que a gente possa ganhar em um futuro próximo.






sábado, 26 de março de 2016

16 anos... Ahhhh como é legal relembrar...


Ahhhh... como é legal relembrar...
Acho que lembro de quase tudo, mas algumas coisas ficam mais vivas na memória. Talvez porque elas não dependam da memória, mas do coração para existir.

O sorriso está lá... todos os dias. O olhar terno, também. O carinho então... nem se fala. Tudo ali embalado por muito amor.
O companheirismo sempre esteve também, mas nesse ano ganhou um contorno diferente. Um contorno em que a força e a referência não estavam em mim. No meu momento mais difícil, você estava lá, do meu lado, comigo. Me ajudou, me deu forças, me apoiou.
Cresceu e com isso, me fez crescer.
Mas além de lembranças, é lindo e intrigante (para não dizer assustador) não saber e não ver o que vem pela frente.
Quantos sonhos irão se realizar? Quantos desejos serão satisfeitos? Quantas alegrias serão vividas? Quantos sorrisos serão dados?
Por outro lado, quantas desilusões, quantas tristezas, quantos medos se concretizarão?
Também não sei, mas sei que com as incertezas, com as alegrias e com as não alegrias você vai crescer ainda mais, e continuará esse caminho bonito, caminho cheio de carinho.

Com as coisas boas celebraremos. Com as chatas, daremos a volta por cima... Juntos, porque se tenho uma certeza na vida é a de que sempre estarei contigo, para o que der e vier...
Celebrar 16 anos não acontece sempre... Na verdade só acontece uma vez... então aproveite muito e obrigado por tudo... Por cada um dos dias desses 16 anos... Obrigado pelos 5840 dias que passaram e pelos muitos milhares de dias que ainda estão por vir.
Parabéns filho meu, meu amor... Felicidades e feliz aniversário!